Açúcar pode causar desenvolvimento de doenças cardíacas em bebês

 

Uma nova pesquisa realizada por pesquisadores da Universidade de Stanford, localizada nos Estados Unidos, e publicada pelo “Journal of Pediatrics”, revelou que mulheres grávidas que consomem altos níveis de açúcar podem aumentar o risco dos bebês desenvolveram algum problema cardíaco.

Os efeitos do açúcar no sangue foram analisados pelo estudo na primeira fase da gestação, momento em que o coração do bebê começa a se formar. Essa relação entre o açúcar e a formação do bebê ocorre mesmo que a gestante não apresente nenhum tipo de diabetes. Segundo o estudo, cada vez que o sangue possui um aumento de 10 miligramas de glicose durante a fase inicial da gestação, o risco do bebê nascer com algum problema congênito no coração aumenta em 8%.

Os resultados foram obtidos pelos pesquisadores através de prontuários médicos de um total de 19.107 gestantes que deram a luz entre o período de 2009 a 2015. Os prontuários médicos tinham detalhes específicos sobre o atendimento pré-natal de cada gestante, o que inclui os resultados obtidos através de exames de sangue.

Dentro dessa análise, os pesquisadores conseguiram identificar um total de 811 bebês que foram diagnosticados ao nascerem com alguma doença cardíaca congênita. Além disso, os pesquisadores selecionaram os dados das mães que apresentaram altos níveis de glicose no sangue no primeiro período da gravidez. Já os dados das mães que foram diagnosticadas com diabetes foram excluídos antes mesmo da investigação dos fatos.

Agora, os pesquisadores avaliam novos passos para que mais estudos sejam realizados. O próximo passo, segundo os pesquisadores, será investigar um determinado grupo de mulheres grávidas para identificar a relação entre os altos níveis de glicose no sangue durante a fase inicial da gravidez com o desenvolvimento de problemas cardíacos nos bebês. Caso o fato seja confirmado novamente, novos parâmetros médicos deverão ser adotados para as consultas de pré-natal, além de novos protocolos médicos que deverão ser divulgados para a prevenção de problemas cardíacos nos bebês.

Contudo, a atual recomendação é de que as mães façam o consumo moderado de alimentos ricos em açúcares para evitar tanto as doenças relacionadas com a gravidez, como o diabetes gestacional, mas também para diminuir os riscos do bebê nascer com algum problema cardíaco congênito.