Com gestão de Luiz Carlos Trabuco Cappi, Bradesco aumenta participação no mercado

 

Luiz Carlos Trabuco Cappi, atual presidente do Bradesco, construiu e consolidou junto ao mercado financeiro a imagem de profissional competente, capaz de combinar discrição e arrojo na tomada de decisões. Os analistas não têm dúvida de que grande parte desse reconhecimento vem do impacto causado pelo modo como o executivo esteve à frente das ações de compra das operações brasileiras do HSBC. Aliás, há consenso formado em relação ao fato de que foi essa operação que, no final das contas, lhe rendeu o prêmio de empreendedor do ano nas finanças, entregue pela revista ISTOÉ Dinheiro no ano de 2015.

Sem dúvida, o êxito na aquisição mostrou a capacidade de Luiz Carlos Trabuco Cappi em entender o mercado e agir no momento certo. É preciso ter em mente, entretanto, que ele não era mais um novato quando fechou o negócio de 5,2 bilhões de dólares. À época, já acumulava muitos anos atuando em diversas frentes do mercado financeiro. Ademais, não estava sozinho na empreitada, uma vez que contou com irrestrito apoio do presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Lázaro Brandão, a quem prestava contas.

Na verdade, mais do que a aquisição em si, foram os bons números que vieram em seguida os responsáveis por alavancar o prestígio de Luiz Carlos Trabuco Cappi. Segundo dados consolidados pelo próprio setor, logo em seguida à operação, o Bradesco elevou sua participação no mercado a um nível que só teria sido possível alcançar nos seis anos seguintes, caso a instituição mantivesse a mesma curva de desenvolvimento que vinha tendo nos anos imediatamente anteriores.

Uma das curiosidades sempre citadas no que diz respeito a esse episódio é que, quando assumiu a presidência, ao ser indagado a respeito dos esforços que faria para aumentar a participação no mercado, Luiz Carlos Trabuco Cappi afirmou que essa não seria uma das metas a serem buscadas isoladamente. Aos ouvidos dos analistas, as palavras talvez tenham soado como uma declaração de que sua postura à frente do banco pudesse vir a ser marcada por certa passividade ou mornidão. Não tardou, entretanto, para que todos compreendessem que não era exatamente disso que se tratava. De fato, o executivo estava querendo dizer que sua visão de ampliação das operações estaria sempre relacionada a um modo sistêmico de trabalhar, por meio do qual não faria sentido, por exemplo, preocupar-se em robustecer o caixa da empresa sem que, na outra ponta da linha, os clientes estivessem satisfeitos com o serviço que estavam recebendo nas agências.

Bem antes de ser presidente de uma das maiores instituições financeiras do Brasil, Luiz Carlos Trabuco Cappi é um bancário por formação. Ele nasceu em Marília, próspera cidade do centro-oeste paulista, onde iniciou a vida profissional como escriturário, exatamente na instituição que hoje está sob sua condução. Seguindo as práticas há muito tempo consolidadas no banco, percorreu toda a hierarquia até passar a ser, de fato, cotado para assumir as responsabilidades que tem atualmente. Foi assim, passo a passo e entregando resultados mensuráveis, que pavimentou sua trajetória de êxito.