Sons gerados por embarcações atrapalham os peixes no cuidado com as suas crias

Os peixes são muito cuidadosos com as suas crias e levam essa questão muito a sério. Quando o diretor do filme da Disney Procurando Nemo retratou esse assunto, ele demonstrou perfeitamente os costumes dos peixes-palhaço, e como os ovos dos peixes necessitam do maior cuidado possível para evoluir.

Para poderem nadar nos mares e oceanos, as crias precisam passar pela fase em que elas não são mais do que pequenas e sensíveis bolas gelatinosas, precisando de locais seguros e da atenção de seus pais. Uma ninhada pode ser formada por milhares de ovos, sendo preciso uma assistência maior ainda de seus pais para que o maior número deles possa sobreviver.

Durante um estudo realizado por cientistas da Universidade de Exeter, localizada no Reino Unido, eles descobriram que essa tarefa dos peixes de cuidarem das suas crias, está ficando cada dia mais difícil. Isso porque a poluição sonora nos mares acaba atrapalhando os peixes, sendo que em locais onde são encontrados  os recifes de corais,  o barulho dos motores das embarcações provoca o afastamento dos peixes de suas ovas, facilitando com isso o ataque dos predadores aos ninhos.

Os pesquisadores fizeram uma experiência e conseguiram determinar, o tamanho do resultado da poluição sonora com os peixes. Eles estudaram quase quarenta ninhos naturais de um peixe que é encontrado no litoral australiano, o Acanthochromis polyacanthus. Os pesquisadores em um período de doze dias, criaram sons naturais em locais de recifes para a metade dos ninhos, enquanto que na outra metade, os pesquisadores criaram sons que imitavam os barulhos dos motores dos navios.

Ter o barulho ou não, foi um fator importante no comportamento dos peixes. Os que precisaram conviver com o som constante dos motores, apresentaram características mais agressivas, passando inclusive a perturbar outros peixes. Dessa forma eles se afastavam mais dos seus ninhos e deixavam as suas ovas mais indefesas.

Essas atitudes dos pais fizeram com que a taxa de sobrevivência das crias tivesse uma queda significativa. Dos dezenove ninhos que ficaram expostos aos sons dos motores, seis deles perderam todas as suas ovas durante os dois meses do estudo. Os resultados mostraram que a poluição sonora afeta a tranquilidade dos peixes e o seu cuidado com as suas crias.