Como cuidar da catapora?

A catapora é uma enfermidade contagiosa ocasionada por um vírus chamado Varicela – Zóster. Embora a doença seja contagiosa, na grande maioria dos casos é benigna e adquirida comumente na infância, porém, com a vacina os números vêm caindo.

Quando uma pessoa adquire o vírus, ela permanece imune a ele o resto da vida, já que ele não sai do organismo. Mas em muitos casos, quando mal tratada, a enfermidade pode causar o tão falado cobreiro.

Os principais sintomas da doença se resumem a: febre, sensação de mal-estar, cansaço extremo, cefaleia, e ausência de fome. Mas com o passar dos dias (Normalmente o segundo dia após o contágio) começam a surgir pequenas lesões avermelhadas na pele, que com o desenvolvimento da enfermidade viram bolhas com líquido do dentro, que ao secarem formam crostas que dão extrema coceira, um dos principais “sintomas” da catapora.

O vírus da catapora é transmitido através do contato direto com o líquido presente nas bolhas de alguém infectado, por saliva ou secreções respiratórias.

O tratamento se resume em suavizar os sintomas e as adversidades causadas pela catapora, e como em muitas outras enfermidades, não há um tratamento específico ou muitas alternativas. É crucial repousar e evitar contato com possíveis bactérias, o que acabaria agravando ainda mais o caso. A recuperação total acontece após dez dias e com o surgimento das crostas, que ocasionam a coceira, é necessário evitar coça-las, principalmente com força e com as mãos sujas, já que estas situações possibilitam o surgimento de cicatrizes e aumentam o risco de contaminação.

Ao contrário do que acontece com crianças que contraem a catapora, nos adultos, são necessários certos cuidados especiais que profissionais da saúde podem orientar melhor.

A vacina que combate a catapora é extremamente eficiente e recomendada a partir dos primeiros anos de vida, porém, ela também é indicada para adultos com uma baixa imunidade e para pessoas que estão passando por tratamentos como a quimioterapia.

As principais recomendações se resumem a vacina, evitar o contato com enfermos, não arrancar possíveis crostas que se formem, evitar coçar com força as regiões avermelhadas(é preferível utilizar lenços úmidos sobre as feridas).

É de suma importância permanecer em repouso, hidratar-se e comer alimentos leves, além de procurar um médico imediatamente a qualquer sinal de adversidade.