Em seis meses despesa com compra de GLP nas indústrias aumentam 40%

Em 2017 a indústria nacional também foi atingida com a escala de preços do gás liquefeito de petróleo, o GLP. Em diversas regiões as fábricas reportaram um custo de 40% maior com a aquisição de gás e estão em busca de alternativas. As empresas estão na busca de combustíveis mais econômicos e as distribuidoras de GLP são chamadas para que os contratos sejam renegociados e as margens diminuírem.

Nas aquisições de GLP, existe o segmento do botijão de gás de 13 quilos vendido para as residências e o gás a granel, com tanque fixo instalado nas indústrias e abastecido por caminhões periodicamente. A Petrobrás anunciou em junho do ano passado, uma nova política de preços do gás de botijão com ajustes mensais nas refinarias. A estatal também passou a revisar mensalmente os preços para as indústrias, embora não tenha divulgado, com ajustes mais frequentes.

Do mês de junho de 2017 até janeiro de 2018 já foram sete reajustes com elevação de preço em 36% nas refinarias e de 57% do gás de botijão. A espera é que o GLP comece a cair a partir do mês de março deste ano, porém sem previsão de retorno dos preços anteriores.

O maior impacto de custo no ano passado foi à inflação do gás, mesmo com o preço do milho e do açúcar subindo e descendo ele permaneceu em alta. Existe uma aposta nacional de avanço do gás natural sobre o gás liquefeito de petróleo em indústrias, a partir de 2020 quando aumentará a oferta do pré-sal em gás natural.

Segundo informações do Sindigás em dezembro a Petrobrás estava vendendo o GLP a granel nas refinarias por 44% mais caro que o gás de botijão. Porém o gás da indústria estava 35% acima da paridade dos preços internacionais, e o botijão 3% abaixo da paridade.

O argumento da Petrobrás nos preços do gás de botijão é que ela segue a determinação do Conselho Nacional de Política Energética, que considera de interesse para a política energética nacional o comercio, por produtor ou importador do GLP, com uso doméstico exclusivo em recipientes que possam ser transportados com capacidade de até 13 quilos, com preços diferenciados e menores que s utilizados nos demais usos.