Matemática ensina a maneira correta de misturar café

Resultado de imagem para Matemática ensina a maneira correta de misturar café

Muitos provavelmente tenham misturado seu café de forma errada a vida inteira, sem ao menos sonhar que a matemática poderia prestar uma melhor lição sobre a questão. Se o açúcar é misturado ao café, utilizando-se a colher com movimentos circulares, então não está certo! É o que ela indica categoricamente.

Se quando o açúcar é adicionado ao café, ele é misturado através da colher sendo mexida em círculos, o que comumente a imensa maioria das pessoas faz, então isto estará fazendo com que o açúcar vá se acumulando na beira do recipiente, ou seja, na borda da xícara, que é exatamente o local onde o líquido faz movimentos mais lentos.

Característica do caos

Segundo o professor, hoje aposentado, Hildebrando Rodrigues, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação, o ICMC da USP de São Carlos, o fator indicado seria uma das importantes características do “caos”, que é exatamente fazer o que está próximo se distanciar de forma muito rápida.

Conforme o professor reforça, o caos é utilizado em muitas situações práticas, do cotidiano dos indivíduos quando procuram fazer misturas com o intuito de homogeneizar as substâncias envolvidas.

A xícara de café e a matemática

Para que se possa compreender o processo relacionado a mistura do açúcar com o café em uma linguagem matemática, é necessário que se pense no deslocamento de partículas considerando o tempo do processo.

A xícara de café é considerada um sistema dinâmico o qual tem a possibilidade de ser explicado por uma equação diferencial.

Este fenômeno, no qual há uma variação, demonstra muita semelhança com o que acontece com os corpos celestes indicando as órbitas no céu: pois eles também movem-se no decorrer do tempo.

No nascedouro do estudo está a obra do famoso Galileu Galilei, quando pesquisava o movimento feito pelos astros, pois no tempo dele ainda não havia o termo utilizado hoje: equações diferenciais e nem tampouco “cálculo diferencial”.

Será que o sabor da bebida mais apreciada pelos brasileiros muda, ao ser utilizado um tipo de mistura diferente da tradicional?