Substituir sinal analógico por digital em TVs irá expandir internet no país

O sinal analógico vem sendo desligado gradualmente em vários municípios do Brasil, após ter funcionado durante 60 anos transmitindo sinais de televisão para os telespectadores de todo o país. O sinal vem sendo substituído pelo sinal digital, que tem a capacidade de transmitir dados digitais, superando o analógico em qualidade de som e imagem. A meta é utilizar o sinal analógico em transmissões de dados de internet móvel nos próximos anos. Oficialmente, essa substituição teve início em março de 2016, em Rio Verde, município de Goiás.

A estimativa para 2018 é de que mais de 1300 municípios brasileiros passem a utilizar o sinal digital. Segundo dados do Ministério das Telecomunicações junto ao Ministério do Desenvolvimento Social lançados no dia 25 de outubro de 2017, os municípios fluminenses de Belford Roxo, Guapimirim, Itaguaí, Magé, Mesquita, Niterói, Petrópolis, Rio de Janeiro, São João de Meriti, Tanguá, Duque de Caxias, Itaboraí, Japeri, Maricá, Nilópolis, Nova Iguaçu, Queimados, São Gonçalo e Seropédica, irão receber o sinal digital até o final do ano que vem.

Ao todo, serão 59 municípios fluminenses que passarão a utilizar o sinal digital até a data prevista para novembro de 2018. Outros 14 municípios fluminenses junto a qualquer município do país, terão o prazo máximo de mudança do sinal analógico para o digital até 2023.

Segundo uma pesquisa realizada através da PNAD/2015 – Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2015, somente 45,1% dos domicílios brasileiros com TVs possuíam acesso ao sinal digital aberto em 2015, enquanto 19,7% não tinham acesso e nem perspectivas de conseguirem o sinal digital por outros meios, como serviços de TV a cabo ou sinal por satélite.

De acordo com a pesquisa, a região Sudeste é a que apresentou o maior índice de recepção de sinal digital aberto em todo o país, permitindo o sinal em 53,1% das residências. Em contrapartida, a região com o menor acesso ao sinal digital é a região Norte, onde segundo os dados do PNAD/2015, somente 34,7% das residências têm acesso ao sinal digital aberto.

As estimativas do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações, e Comunicações, é de transitar para o sinal digital e liberar o sinal analógico para o uso de internet 4G. A faixa de 700 MHz atualmente utilizada pelo sinal analógico, tem o potencial de elevar a transmissão de dados móveis e levar internet a regiões do país onde ela ainda não chegou.